Por que a água de piscina precisa ser tratada?

Para saúde de todos e também para o bem dos ecossistemas  fluviais, a água de piscina é tratada. Você sabe o porquê?

Quando se renova a água, é provável que a água apresente grande quantidade de bactérias e microorganismos, nocivos à saúde. Nestes casos deve-se fazer um tratamento rigoroso.

Quando a água estiver suja, o recomendado é que seja feita a remoção mecânica das impurezas e quando turva, a realização de um tratamento físico-químico que permita a purificação da água, a fim de proteger os usuários durante o banho.

No Araucária Acqua Park, estamos sempre atentos às normas de segurança biológica em relação às nossas águas.

Tratamento de piscina

Uma reclamação constante de pessoas que frequentam piscinas públicas é o forte “cheiro de cloro” que elas apresentam, principalmente quando são cobertas.

Na verdade, o ácido hipocloroso denominado “cloro livre” não tem cheiro em concentrações até 20ppm (e o máximo recomendado na piscina é de 3ppm).

Portanto, o cheiro forte não é de “cloro” ou de “ácido hipocloroso”, mas sim de compostos denominados cloroaminas, formados pela reação entre o ácido hipocloroso e o cátion amônio (NH4+(aq)), liberado pela urina ou pelo suor dos banhistas.

O cloro é indispensável para a segurança dos banhistas no tratamento da água da piscina, pois ele é o elemento que elimina os microorganismos da água, oxida a matéria orgânica e os metais nela dissolvidos, inibe odores desagradáveis e previne a transmissão das mais diversas doenças infecciosas, tais como: hepatite, otite, micoses, cólera, doenças venéreas, etc.

O pH ajustado na faixa ideal assegura uma ação eficaz dos produtos químicos, proporcionando maior conforto aos banhistas e ajudando a prevenir a ocorrência de processos corrosivos.

Pedimos a todos que respeitem nossas normas de segurança e não entrem na piscina caso estejam de gesso, curativos, feridas ou doenças de pele.

Fonte: fazfacil.com.br