Venha para o Araucária Acqua Park com a sua família

Venha para o Araucária Acqua Park com a sua família

Com a família ao nosso lado, sentimos que somos capazes de fazer muito mais do que se estivéssemos sozinhos – e isso não é só impressão. Várias pesquisas estão aí para comprovar a força que a companhia dos familiares, ou mesmo a dos amigos – aquela família que escolhemos ter – têm sobre tudo o que fazemos. Confira:

Combate à obesidade

Um estudo feito pela Universidade Harokopio, na Grécia, avaliou mais de mil crianças e comprovou que aquelas que comiam à mesa com os pais eram mais saudáveis do que as crianças que não tinham esse hábito. Os pesquisadores destacaram que as famílias que fazem as refeições unidas têm o hábito de cozinhar mais em vez de comer lanches, deixando a dieta mais rica.

Outra pesquisa, feita pela University College London, no Reino Unido, analisou a família e o comportamento de mais de sete mil crianças e adolescentes e concluiu que crianças com pais mais magros têm três vezes mais chances de serem magras do que aquelas com pais acima do peso. Essa relação se dá primeiro pela genética, e em segundo lugar pelos hábitos alimentares, que podem ser passados “de pais para filhos” – ou seja, família unida pode emagrecer unida.

Melhora o rendimento escolar

Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association, feito com 675 crianças, comprova que brincadeiras entre pai e filho ajudam no desenvolvimento da criança e influenciam o rendimento escolar. Os pesquisadores afirmam que fazer jogos de leitura e brincadeiras educativas com os filhos melhoram o raciocínio lógico das crianças, fazendo com que o rendimento escolar também aumente.

Recuperação mais rápida de pacientes

Uma pesquisa publicada na Journal of the American Heart Association afirma que pacientes vítimas de um AVC recuperam as habilidades perdidas ou prejudicadas com mais facilidade se recebem ajuda dos membros da família.

Os pacientes com AVC foram ajudados por membros da família a fazer exercícios para melhorar a função das pernas durante 35 minutos diariamente, sete dias por semana. Ao final de três meses, os pesquisadores avaliaram o resultado decorrente do tratamento e descobriram que o tempo em hospitais do grupo de exercício com família era em média de 35 dias, enquanto o grupo que fazia exercícios apenas com acompanhamento médico ficava 40 dias ou mais internado.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/