A história do Ketchup e sua origem chinesa

O ketchup é um dos mais emblemáticos produtos do mundo e hoje é um acompanhamento essencial na mesa de muitas pessoas.

Símbolo máximo da culinária americana e do ”Fast food”, o Ketchup ganhou fama internacional, variações, diferentes usos, e quase uma unanimidade impressionante.

A história do Ketchup é surpreende ao pensar que a primeira versão não continha tomate, e muito menos tinha alguma relação com os Estados Unidos. O precursor do Ketchup era um molho de peixe fermentado, feito a base das vísceras e carne do mesmo, vindo do sul da China, e que depois foi levado à Malásia por onde também se popularizou. Existem registros históricos do consumo desse molho a mais de 300 anos antes de cristo.

A origem do Ketchup se remete também a chegada do tomate a Europa por volta de 1500, quando foram trazidos da América do Sul para a Inglaterra. Por ser um produto novo, e novidade para todo mundo, durante séculos o tomate não foi consumido, pois existia o medo de ser venenoso.  Por volta de 1700, o molho fermentado de peixe caiu no gosto dos ingleses por ser fácil de estocar e transportar nas longas viagens de navios que eram feitas.

Com a necessidade de reproduzir o molho de peixe, mas ao mesmo tempo enfrentando a dificuldade de encontrar todos os produtos que só tinham na China, foram usados outros ingredientes como ostras, cogumelos, nozes, e etc. Em 1812, finalmente foi registrada a primeira receita de Ketchup feita com tomates, preparada por feita por James Mease, um cientista da Filadélfia.

O grande momento na popularização e consolidação do Ketchup em todo o mundo foi quando Henry J. Heinz lançou o “Tomato Catsup”, o primeiro feito em escala industrial, embalado em garrafas de vidro. A partir desse momento, foi questão de tempo para o domínio global do Ketchup e a expansão desse mercado que hoje é bilionário.

A história do Ketchup é regada de influencias, e também de diversas variações e aprimorações da receita original. Inicialmente classificado como um molho, hoje em dia é também considerado por muitos um condimento ou um ingrediente, tamanha importância e funcionalidade que ganhou na cozinha.

Um bom Ketchup precisa ser salgado, doce, picante, condimentado e ácido ao mesmo tempo, e com o passar do tempo foi cada vez mais “trabalhado” por cozinheiros, ganhando inúmeras versões. Para garantir e padronizar a sua fórmula, foi criado em 1940 nos EUA um padrão de identidade para o Ketchup, reforçando inclusive o tomate como o principal ingrediente.

Seja ele de tomate ou não, o Ketchup virou uma “técnica” para os cozinheiros, e hoje é possível encontrar sabores como goiaba, pimentão, amora e etc. É muito importante destacar as transformações que o Ketchup sofreu com o passar do tempo, até a conservação da receita atual, fato que ocorreu e ocorre com diversos ingredientes e produtos da nossa cozinha.

 

Fonte: www.petitgastro.com.br